Mundial – Grupo C

Participantes: Estados Unidos, Turquia, Finlândia, Ucrânia, Nova Zelândia e Republica Dominicana.

Sede: Bilbao

Como será: Tirando os sobrinhos do Tio Sam, que nesta primeira fase até podem jogar com o freio de mão puxado que não correrão risco algum, este é um grupo nivelado por baixo, ou pelo menos o mais sem graça. Para começar, Turquia (que sempre sofre em competições em que não é sede) e Finlândia (com todo o respeito, mas sem tradição alguma no basquete) estarão na Espanha por que, assim como o Brasil e Grécia, receberam um “convite” (quando se paga é ingresso, não?) da FIBA. Lembranças desagradáveis a parte, é bom prestar atenção na Republica Dominicana, até por que pode ser uma futura pedra no sapato dos brasileiros nas disputa por vagas em mundiais e olímpiadas . Desde a passagem de John Calipari por lá, no pré-olímpico de 2011(lembram o sufoco que foi jogar conta eles?) a seleção dominicana vem progredindo a cada ano. Agora sob o comando de Orlando Antígua (ex – auxiliar de Calipari na Universidade de Memphis e em Kentucky) deve pelo menos chegar as oitavas de final – uma pena Al Horford não poder jogar. Falando em técnicos, no banco da debutante Ucrânia estará Mike Fratello, técnico que marcou época na NBA durante os anos 90, dirigindo Atlanta Hawks e Cleveland Cavaliers- foram 1251 jogos e 667 vitórias. Apesar da crise politica vivida pelo país, os ucranianos chegam com uma seleção que, se não é brilhante, se mostra muito organizada, com destaque para o armador americano naturalizado Eugene “Pooh” Jeter. A Nova Zelândia, mesmo tendo feito uma preparação boa, deve chamar mais a atenção pela Haka do que pelo basquete.

O que ver:

1- Estados Unidos.

2 – Karl Towns*. Com apenas 18 anos, o americano filho de dominicanos deve ser uma das sensações da temporada da NCAA (jogará por Kentucy) e é considerada barbada seu nome estar pelo menos entre as cinco primeiras escolhas do draft de 2015.

3 – A torcida finlandesa. Não importa que o time não seja lá estas coisas, não importa se o convite foi meio estranho (financiado pela empresa finlandesa Róvio, criadora da marca Angry Bird ), os nórdicos prometem invadir Bilbao ( cerca de 10.000 Finlandeses são esperados na cidade). Na quadra, Hanno Mottola, ala-pivô de 37 ano e ex – Atlanta Hawks, é um personagem a parte.

4 – Anthony Davis. A seleção norte-americana já foi mencionada ai em cima, mas o “monocelha” merece um item só dele. Desfrute do seu jogo sem moderação.

* Foi cortado ( opção técnica). Não disputa o mundial.

About the Author

Luiz Gomes

Luiz Gomes

Viciado em qualquer tipo de basquete e ex mão de pau de rachão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *