Mais produtivo no ataque, Vitor Benite merece mais minutos.

Não é segredo para ninguém a confusão toda que envolveu Marcelinho Machado, talvez o maior ídolo da recente história do basquete do Flamengo, e o técnico José Neto – foi noticiado que houve confusão no vestiário no após o jogo contra o Minas. Dois dias depois, o clube decidiu afastar o jogador dos próximos três jogos da equipe. O próprio Marcelinho emitiu comunicado, assumindo o erro, se desculpando e negando qualquer tentativa de agressão ao treinado (leia aqui). Enfim, tudo foi causado por uma suposta perda de minutos do veterano jogador (está prestes há completar 40 anos) para Vitor Benite, 15 anos mais jovem – completará 25 anos no próximo dia 20 de fevereiro – e que já a algum (e preocupante) tempo ocupa um lugar na lista de promessas do basquete nacional. Benite, passou quase quatro anos decidindo se seria armador ou ala e isso acarretou em instabilidade – foram três times (Pinheiros – Franca e Limeira) em quatro anos – acabou encontrando no Flamengo um lugar propício para deslanchar de vez. Se na seleção ele ainda não conseguiu ganhar a confiança de Ruben Magnano, no rubro negro carioca, mesmo sofrendo uma contusão seríssima, que o alijou de quase toda a temporada passada (participou de somente quatro jogos), ele parece ter se decidido de vez em jogar explorando mais seu potencial ofensivo e ter melhorado muito seu comportamento na defesa – a marcação em Jeremy Pargo no segundo jogo contra o Maccabi foi algo impressionante.

Mas será que a troca de guarda entre Benite/Marcelinho, com o primeiro assumindo uma posição mais de protagonista e o segundo servindo mais como apoio, pode ser feita de forma incontestável? Marcelinho teria argumentos para adiar a passagem do bastão por mais algum tempo? Vamos dar uma olhada nos números.

Ataque:

Os dois sempre carregaram a fama (principalmente Machado) de gatilhos ferozes aqui por estas terras. A tabela abaixo mostra índices relacionados ao aproveitamento de arremessos.

JogadorMinutos/JogoPts/40 minutos% Arremessos de quadra%3PT%LLeFG%TS%ORtg
V. Benite19.621.250.339.282,157.360.2120.1
M.Machado24.519.740.038.576,851.155.5112.9

*TS%: “True Shooting”: mede a eficiência dos arremessos  considerando arremessos de quadra, arremessos de 3 pontos e lance livres.

Benite atualmente leva vantagem em todos os itens sobre Machado. Até no eFG%, item que mede o aproveitamento de arremessos, valorando mais a bola de 3 pontos, especialidade de Machado, ele não consegue um valor maior que o companheiro. O resultado é uma eficiência ofensiva (pontos produzidos por 100 posses de bola) cerca de 7% maior para Benite.

Defesa:

Marcelinho Machado sempre gerou implicância quanto ao seu desempenho defensivo. Apesar de muita coisa que ocorre na defesa não poder ser medida nas estatísticas (posicionamento, por exemplo), os números defensivos de Machado não devem nada em relação ao desempenho do companheiro. Estão até levemente melhores, como mostra a tabela abaixo.

JogadorMinutos/JogoRoubos/40 min.%RoubosFaltas/40min.Reb. Def./40minDRtg
V. Benite19.611.34.13.2110
M.Machado24.511.42.83.0109.5

A observação aqui fica por conta que a produção defensiva de ambos está com números bem anêmicos – Vitor Benite tem o agravante de cometer muitas faltas. A eficiência defensiva (DRtg – o número de pontos que o adversário anota, por 100 posses de bola, quando o jogador está em quadra) dos dois são as mais baixas da equipe neste NBB. Novamente a observação: tudo que se pratica na defesa nem sempre é traduzido nas estatísticas, mas os números servem como um bom guia.

Produtividade.

JogadorPERFIC 40WS
V. Benite18.211.21.5
M.Machado15.613.11.5

Usando os índices PER (que seria a taxa de eficiência do jogador), FIC/40 minutos (um cálculo de eficiência, porém valorando alguns índices de forma diferente), e vitórias produzidas (WS), verifica-se que o desempenho de ambos ainda é parelho, já que considerando o método de avaliação (PER e FIC), um ou outro leva vantagem. O número de vitórias produzidas de cada um é absolutamente igual (1,5), e é o quinto maior da equipe do Flamengo – Jerome Meyinsse é o jogador que mais “produziu vitórias” (2,5).

Pela força ofensiva que tem apresentado, Vitor Benite pede (e merece) por mais minutos. Já Marcelinho poder ser muito importante ao desempenhar um papel de suporte a equipe, como liderar a segunda unidade – é raro encontrar reservas com seus números por aqui – e ainda ser muito produtivo se for usado em doses homeopáticas (15 – 20 minutos/jogo). O processo natural para ele se tornar um jogador coadjuvante já começou. Se vai ser de luxo, dependerá do jogador aceitar isso.

* Dados estatísticos retirados do site Real GM

About the Author

Luiz Gomes

Luiz Gomes

Viciado em qualquer tipo de basquete e ex mão de pau de rachão.

2 thoughts on “Mais produtivo no ataque, Vitor Benite merece mais minutos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *